Rinite e sinusite. Isso não me cheira bem!

A sinusite é uma inflamação da mucosa dos seios da face e do nariz.

Os seios da face são cavidades ósseas no crânio, na face e ao redor do nariz e dos olhos.

A sinusite pode ser causada por infecção bacteriana ou alergia, quando não for possível a drenagem adequada da secreção presente nos seios da face.

As sinusite crônica e a aguda têm sinais e sintomas por vezes semelhantes.

A sinusite aguda é uma infecção que pode ser decorrente de uma virose, como um resfriado.

A sinusite crônica é um processo inflamatório cuja duração ultrapassa 12 semanas, pode acometer a mucosa nasal, sendo chamada de rinossinusite crônica, e cursar com ou sem pólipos nasais.

Podemos confirmar o diagnóstico de sinusite ou rinossinusite crônica quando estão presentes ao menos dois dos seguintes sinais: obstrução nasal ou secreção nasal associados a pelo menos um dos sintomas: dor e pressão na face, diminuição ou perda do olfato, alterações de imagem na tomografia ou na videonasofibroscopia, e também dor de ouvido, na face, garganta, halitose, cansaço.

Os sinais podem ser semelhantes na sinusite aguda e na crônica porém nessa duram mais, e os pacientes sentem mais fadiga.

Nem sempre a febre está presente nos casos de sinusite aguda ou crônica.

E o que é a rinite e como ela se manifesta?

A rinite alérgica é uma reação do sistema imunológico ao contato com partículas inaladas do ambiente e que são estranhas ao organismo, chamadas alérgenos.

Essas substâncias tem o nariz como porta de entrada. O nariz tem como função filtrar essas impurezas mecanicamente através do muco e dos pelos nasais e também umedecer e aquece o ar que vai até os pulmões.

Os sintomas da rinite aparecem geralmente logo após o contato com a substância alergênica, e os mais comuns na crise de rinite alérgica são: inflamação e irritação no nariz, nos olhos, mucosa oral, garganta, pele, sensibilidade aos odores ou diminuição do olfato, coriza e espirros frequentes em salva, lacrimejamento, congestão nasal, tosse, redução da audição, olhos inchados e vermelhos, dor de cabeça e na face, irritabilidade.

Por que, muitas vezes, a sinusite e a rinite podem ser evitadas com ações simples de higiene.

É muito importante hidratar as vias aéreas, eliminar a secreção, e assim reduzir o contato das mucosas com as substâncias causadoras de alergia.

Lavar as mãos, evitar poeira e mofo no ambiente, manter as cortinas limpas, e o mínimo de objetos que acumulem sujeira e resíduos, odores e fungos assegura que menos substâncias alergênicas desencadeiem crises.

O quarto de um paciente com rinite alérgico deve ser bem arejado, limpo e livre de poeira, odores e objetos acumulados como livros, e brinquedos de pelúcia.

Assim o contato com substâncias desencadeadoras de alergia será diminuído e as crises e sintomas serão reduzidos.

Durante o inverno, com o frio há uma agressão maior às mucosas das vias aéreas superiores e inferiores, e a predisposição ao adoecimento e desencadeamento de crises é maior.

O frio também faz com que as pessoas se mantenham em ambientes fechados, sem uma adequada circulação de ar, e com consequente maior acúmulo de sujeira, poeira e substâncias que desencadeiam reações alérgicas.

Para evitar as crises, devemos evitar o contato com substâncias alergênicas, hidratar-se adequadamente, lavar a mucosa nasal com soro fisiológico frequentemente, praticar atividades esportivas principalmente ao ar livre, manter os ambientes que frequenta bem arejados, limpos, sem acúmulo de objetos, e claro, seguir os tratamentos médicos prescritos.

Os pacientes alérgicos também devem evitar alimentos com excesso de corantes ou produtos artificiais e industrializados.

Quanto a dicas para o ambiente (casa, trabalho, carro…) a fim de evitar os gatilhos que desencadeiam as crises, todos ambientes que frequentamos, e principalmente os dos pacientes alérgicos que devem ser livres de mofo, poeira, sujeiras e objetos acumulados, devem ser limpos, arejados, claros, sem odores excessivos, resíduos, poeira e fungos.

Algumas dicas de receitas para fortalecer o sistema respiratório são:

  • Praticar atividades esportivas, principalmente as aeróbicas como natação e caminhada regularmente.
  • Comer alimentos ricos em vitaminas e minerais antioxidantes como verduras, folhas, frutas, sempre o mais naturais e menos processados possível.
  • Evitar fumar, contato com poluentes e fumaça, fazer fisioterapia respiratória, meditar regularmente, evitar frio em excesso e agasalhar-se adequadamente, ter um sono reparador e gerenciar o estresse e cuidar das emoções.

Prevenção é muito importante, e essas dicas o ajudarão a manter os fatores desencadeadores das crises mais distantes e o organismo mais fortalecido.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *